Turma da Mônica

Mônica

Mônica é o personagem mais conhecido de Mauricio de Sousa. Representa uma menina forte, decidida, que não leva desaforo pra casa mas, ao mesmo tempo, tem momentos de feminilidade e poesia.

Mora com os pais, tem um cãozinho chamado Monicão e vive pra baixo e pra cima agarrada a um coelho de pelúcia. E este coelho, que ela trata com todo o carinho, também serve de "arma" contra os meninos. Principalmente o Cebolinha e o Cascão, que não param de "aprontar" com ela. Dai levam cada coelhada que vou te contar.

Foi criada em 1963, baseada na filhinha do Mauricio, com o mesmo nome. No início, saía nas tiras do Cebolinha, nos jornais.

Depois começou a "roubar a cena" e ganhou sua revista própria em 1970. Desde essa época, é uma das revistas que mais se vendem no país.

Hoje, além dos quadrinhos - onde aparece na história como líder imbatível e dona absoluta da rua - Mônica é estrela de cinema, teatro, tem vários produtos que levam seu nome, faz campanhas educativas e comerciais de tevê. Estrela mais versátil, impossível.


Cebolinha

“UM GALOTO DIFELENTE”

Cebola, um garoto de cabelos espetados que, quando falava, trocava o “R” pelo “L”, existiu mesmo, fazia parte de uma turma de garotos, lá de Mogi das Cruzes, e acabou emprestando suas características para o Cebolinha, personagem criado em 1960 por Mauricio de Sousa.

Ele já foi mais gordinho, mais crescidinho e até mais cabeludo, mas sempre com o mesmo jeito “englaçado” de falar. Parceiro de aventuras - ou seria melhor dizer “vítima”? - da Mônica, a quem vive tentando derrotar com seus “planos infalíveis”, Cebolinha teve a sua revista lançada em 1973 e nas horas vagas também é astro de tevê, cinema e teatro.


Cascão

Cascão nasceu em 1961, baseado nas recordações de infância do próprio Mauricio.

Ele conta que, no início, teve receio da reação do público para com este personagem com uma certa “mania de sujeira”. A aceitação, entretanto, foi imediata e a popularidade cresceu tanto que desde agosto de 1982, Cascão tem sua própria revista.




Magali

Magali é outro personagem baseado em pessoa real.

A Magali real é filha do Mauricio (como a Mônica e a Maria Cebolinha ) e a Magali personagem é uma das criações mais simpáticas e conhecidas da turma.

A de verdade comia uma melancia inteira em criança. Daí o personagem seguir seus hábitos.

Mas apesar desse apetite todo, Magali continua elegante e feminina.

É a única que não vive brigando com a Mônica.

Tem um gato, o Mingau, e vive com os pais.



Chico Bento

PRIMO CAIPIRA

Chico Bento, criado em 1961, teve como modelo um tio-avô de Mauricio, sobre quem ele ouvia muitas histórias contadas pela sua avó.

Em agosto de 1982, foi lançada a primeira revista, onde a Turma da Roça, entre eles a Rosinha, namorada do Chico Bento, o Zé Lelé, Hiro, o Zé da Roça, a professora Dona Marocas, o padre Lino e vários outros personagens vivem divertidas histórias num ambiente gostoso e pacato do interior



Rosinha

Menina da roça, bonita e decidida, é um encanto para os olhos do Chico Bento, com quem mantém um namorinho tímido, cheio de olhares e mimos.

Quem sabe, um dia, isso não dê em casamento?







Giselda

Enfim um personagem que homenageia as galinhas: Giselda. A galinha de estimação do Chico Bento. Aliás, como todos os animaizinhos do sítio. Mas Giselda tem dado um bom trabalho ao Chico. Volta e meia escapa de virar canja ou almoço de raposa graças à proteção do Chico Bento.

Em troca, bota ovos bonitos e saudáveis. Que o Chico também evita comer. Não por causa do colesterol (ele ainda não sabe sobre isso) mas porque prefere que nasçam, cada vez mais, lindos pintinhos no galinheiro.



Sansão

Coelhinho de pelúcia azul, inanimado, é o bichinho de estimação da Mônica.

Criado em 1963, sua primeira aparição foi junto com sua dona, na tira do Cebolinha (nº 18) do jornal "Folha de São Paulo".

Ao criar o Sansão, Mauricio inspirou-se no verdadeiro coelho de pano, que a própria Mônica, sua filha, arrastava pela casa quando tinha 2 anos. Na realidade, era amarelo, recheado de palha, grandão e pesado. Dele não sobrou quase nada.

O segundo Sansão veio quando Mônica, aos 7 anos, apresentou-se com seu pai - Mauricio de Sousa - num programa de TV, e foi presenteada com um coelho de pelúcia azul, que ela guarda até hoje.

No início, o Sansão dos quadrinhos não tinha nome, o qual foi escolhido em 1983, através da sugestão de uma menina de 2 anos, chamada Roberta Carpi, de Ribeirão Preto.

A primeira história em que o Sansão apareceu com seu nome definitivo foi intitulada "Tum Dum Tum Dum Tum Dum", na revista "Mônica" nº 161, em setembro de 1983.



Anjinho

O Anjinho das historinhas da Mônica é um anjo de verdade, que desceu das nuvens para se misturar com as crianças e protegê-las de algum acidente, se possível.

Seu maior problema é quando a turma de moleques apronta com a Mônica. Daí não consegue evitar as coelhadas que Mônica distribui a torto e direito nos meninos. Às vezes sobra até para ele.

Volta e meia tem que dar uma subidinha para "receber ordens". Mas volta correndinho para continuar brincando de moleque com a Turma.



Bidu

Cãozinho de estimação do Franjinha.

Acompanha as aventuras da Turminha como um cãozinho fiel. Mas de vez em quando tem suas próprias histórias, onde fala com objetos e outros animais.

"Nasceu" em 1959, juntamente com o Franjinha, nas páginas da Folha de São Paulo. E como foi o primeiro personagem de sucesso do Mauricio, até hoje é o símbolo da Mauricio de Sousa Produções.

Como vemos, o Mauricio também se mantém fiel a ele.



Floquinho

Floquinho é o misterioso animal de estimação do Cebolinha.
Com uma pelagem super-original, espalha a dúvida por onde passa:

Está indo ou andando de costas?

De que lado é o focinho?

É um cachorro, mesmo?



Louco

O Louco é um personagem com um pouco de cada um de nós (em algum momento).

Consta que mora num asilo próximo da casa do Cebolinha. Por isso vive atazanando o menino. Mas no fundo, no fundo, só provoca situações absurdas, loucas, sem má intenção nenhuma.

O Louco é um produto exclusivo de Mauricio Napoleão de Sousa. E viva a República! Abaixo os gigantes, tenho dito. E Paulo, e Pedro ....


Franjinha

Franjinha é um menino inteligente e curioso, sempre envolvido com pesquisas e invenções.

Tem mais de dez anos, vai à escola e é um amigão da turma toda. Mas às vezes, com a mania de tentar ajudar o Cebolinha ou o Cascão contra a Mônica, inventa coisas incríveis e que nem sempre dão certo. Daí até ele leva coelhadas.

Tem seu "laboratório" num galpãozinho no fundo do quintal.

Nas histórias em quadrinhos do Mauricio, foi o primeiro personagem criado comercialmente, ao lado do seu cãozinho Bidu. Suas aventuras foram lançadas em tiras no Jornal Folha de São Paulo a partir de 1959. E nas tiras do Bidu e Franjinha nasceu, tempos depois, o Cebolinha. Que, em seguida, ganhou sua própria série.


Horácio

Horácio é um filhote de Tyrannossaurus rex. Mas não parece. É gentil, amigo, preocupado em auxiliar o próximo.

Tem vários amigos: o Tecodonte, o Antão, o Pterodáctilo Alfredo e uma jovem dinossaura que sonha em ser sua namorada, a Lucinda, mas a Simone, outra dinossaura também está na parada.

Horácio apareceu pela primeira vez nas tiras de jornal do personagem Piteco, publicadas no extinto Diário de São Paulo. Depois ganhou espaço próprio em páginas dominicais na Folhinha de São Paulo, suplemento infantil lançado em 1963.

Durante quase 30 anos suas histórias foram escritas e desenhadas exclusivamente pelo próprio Mauricio, para a Folha de São Paulo com redistribuição para diversos outros jornais.



  Voltar


CMF -  Avenida Ibirapuera, 3.493 - Moema - Tel. 5041-0820 / 5041-6851 -  Todos os direitos reservados. © Copyright 2004