Não basta ser pai, é preciso participar

Por Dr. Thomaz Rafael Gollop*

Faça com que o futuro papai acompanhe todas as fases da gestação. Essa cumplicidade é importante para você e para o seu bebê.

Num passado não muito distante, gravidez era assunto que só interessava às mulheres. Hoje, a participação do marido/companheiro nas mais variadas fases da gestação é fato comum, e sua presença na sala de parto virou rotina em diversos hospitais.

O pai do bebê tem um papel importantíssimo nessa fase tão especial. Sua participação - de corpo e alma - pode ajudar a resolver rapidamente muitos problemas da futura mamãe, especialmente no terreno emocional. Por isso é bom que ele esteja consciente de tudo o que se passa dentro de você. E, para facilitar essa cumplicidade, envolva-o na totalidade de sua rotina e de suas preocupações. Quando o filhote chegar, ele já estará habituado a dividir alegrias e problemas e se sentirá mais confortável diante do fato de que, agora, terá de compartilhar até você.



* O Dr. Thomaz Rafael Gollop é obstetra, ginecologista, geneticista; professor responsável pela disciplina Aconselhamento Genético do Curso de Pós-Graduação no Departamento de Biologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo.

  Voltar
 
CMF -  Avenida Ibirapuera, 3.493 - Moema - Tel. 5041-0820 / 5041-6851 -  Todos os direitos reservados. © Copyright 2004